1420247.jpgQue nenhum de vós padeça como homicida, ou ladrão, ou malfeitor, ou como o que se entremete em negócios alheios; mas, se padece como cristão, não se envergonhe; antes, glorifique a Deus nessa parte (1 Pedro 4.15-16)

Tertuliano é parte dos chamados pais da Igreja. Nasceu em Cartago (norte da África) em 160 d.C. Dotado de grandes talentos, fez sólidos estudos e escolheu a profissão de jurista, na qual se distinguiu; porém afirmou: “Naquele tempo eu era cego e não tinha a luz do Senhor.” A firmeza dos mártires lhe chamou a atençãoe, ao vê-los, se converteu. Em seu discurso dirigido aos governadores das províncias, mostra como os cristãos se haviam multiplicado no império: “Existimos somente desde ontem e já enchemos vossas cidades e aldeias, vossas administrações, vossos pretórios e a praça pública; só vos deixamos os templos.”
À acusação de serem provocadores de distúrbios feita contra os cristãos, ele contesta: “O transtorno ocasionado pelos cristãos consiste em estarem reunidos na mesma religião, na mesma moral, na mesma esperança. Formamos uma conjura para orar a Deus juntos e ler as divinas Escrituras. Se um de nós peca, fica privado da comunhão até que se arrependa. Essas assembléias são presididas por anciãos cuja sabedoria mereça essa honra. Cada um traz sua contribuição, se quiser e puder. Esse tesouro serve para alimentar e enterrar os pobres, sustentar as viúvas, os órfãos, os desempregados e os naúfragos da vida. Saudamo-nos por irmãos e estamos dispostos a morrer uns pelos outros.”

Mas também, se padecerdes por amor da justiça, sois bem-aventurados. E não temais com medo deles, nem vos turbeis; antes, santificai a Cristo, como Senhor, em vosso coração; e estai sempre preparados para responder com mansidão e temor a qualquer que vos pedir a razão da esperança que há em vós (1 Pedro 3.14-15)

Tertuliano termina assim seu discurso: “Multiplicai vossos instrumentos de tortura; vossas mais refinadas crueldades não servem de nada. Quanto mais nos eliminais, mais nos multiplicamos. O sangue cristão que derramais é como semente que sai da terra e frutifica abundantemente. Muitos de vossos filósofos estóicos recomendam em seus escritos sofrer com paciência as dores e a morte. O exemplo que nos dão os discípulos de Cristo é mais eloqüente que estas palavras. Essa invencível firmeza que vós chamais obstinação e que censuram como um crime é uma poderosa ferramenta para vencer. Quem pode ser testemunha dela sem se comover?”
De fato, incontáveis exemplos mostram que aqueles que faziam os cristãos sofrerem se impressionaram tanto pela força moral que tinham em suas convicções que de perseguidores passaram a perseguidos.
Essa é a história de Saulo de Tarso; saindo de Jerusalém para encarcerar e matar os discípulos de Jesus Cristo, voltou com o nome de Paulo, como discípulo de Jesus. Durante muito tempo o apóstolo Paulo pregou o Evangelho e sofreu todo tipo de dificuldade; por fim, passou um longo tempo na prisão antes de conhecer a morte por amor ao seu Senhor Jesus.

Devocional Boa Semente

Michelle Martins