ImageA conversão é manifestada pelo arrependimento que é, da parte do homem, o passo dado para a conversão. Sem arrependimento a conversão não existe, pois ela é, acima de tudo, um voltar atrás, o ato de corrigir uma rota. Entretanto, nem todo o arrependimento é o arrependimento evangélico. O arrependimento evangélico baseia-se num sentimento de repúdio e pesar pelo pecado. É preciso que nossas igrejas voltem a pregar com intensidade a importância do arrependimento. E como veremos a seguir, envolve uma mudança de nossos pontos de vista, sentimentos e propósitos. O arrependimento envolve os elementos: intelectual, emocional e volitivo.

DEFINIÇÃO ETIMOLÓGICA

No Novo Testamento, os termos “arrepender-se” (metanoeô) e “arrependimento” (metanoia) se referem basicamente a uma mudança da mente. É importantíssimo observar essa significação. Pois o arrependimento consiste de uma radical transformação de pensamento, atitude e direção.

DEFINIÇÃO TEOLÓGICA

O arrependimento é uma mudança sincera, que faz a pessoa enxergar o pecado não apenas como um ato lamentável, um erro, fraqueza ou mesmo um deslize, mas uma culpa pessoa “eu conheço as minhas transgressões e o meu pecado está sempre diante de mim” (Sl 51.3). De conformidade com a ênfase que atravessa todo o AT, e com aquilo que igualmente aparece no NT, o arrependimento consiste de um abandono ao pecado e um voltar-se para Deus e para seu serviço.

O QUE O ARREPENDIMENTO NÃO É

O arrependimento não é penitência

A penitência, segundo o ensino católico romano, faz parte do arrependimento. A penitência consiste na punição dos pecados passados através de disciplinas que exerçam uma expressão exterior de remorso como a confissão, rezas e até mesmo autoflagelação.

A Bíblia diz que o sacrifício de Cristo foi suficiente para a salvação (Rm 4:7,8; 10:4; Hb 10:14, 1 Jo 1:7). Penitências, e outros atos do homem jamais poderão expiar qualquer pecado (Jó 14:4; Is 40:6; 64:6). As Escrituras não reconhecem os homens expiando seus próprios pecados, mas anuncia que Cristo é o nosso substituto pelos pecados (2 Co 5:21).

Arrependimento não é tristeza por coisas erradas praticadas

Antes disso, o arrependimento envolve o entendimento da condição do homem como pecador. O pecador arrependido deve se dar conta de que é culpado e está sob condenação.

Arrependimento não é apenas o prometer andar certo

Entretanto, no coração do pecador arrependido morre o amor pelo pecado, e este agora passa a repudiar o pecado. Neste sentido, o arrependimento inclui a consciência de ser pecador e condenado e o desinteresse pelo pecado.

Continua…

Fonte: Discipulado da Igreja Assembléia de Deus da cidade de Guaíba/RS